Sala de Imprensa
Clipping
Cliente: UDDO Diagnósticos Médicos
Data: 23/10/2012

CÂNCER DE MAMA: A IMPORTÂNCIA DA MAMOGRAFIA NA PREVENÇÃO DA DOENÇA

CÂNCER DE MAMA: A IMPORTÂNCIA DA MAMOGRAFIA NA PREVENÇÃO DA DOENÇA
Médicos recomendam exame anual às mulheres a partir dos 40 anos.

A UDDO, rede de clínica especializada em medicina nuclear diagnóstica, ressalta a importância de realizar exames preventivos neste “Outubro Rosa”, mês da prevenção ao câncer de mama. Cada vez mais, as mulheres brasileiras têm acesso aos modernos recursos que permitem diagnosticar precocemente a doença e tratá-la ainda na fase inicial, aumentando em 95% as chances de cura. De acordo com a clínica, exames e procedimentos tais como mamotomia, mamografia, o linfonodo sentinela (para investigar sinais de metástase no sistema linfático), já cobertos pelos planos de saúde de massa, vem crescendo a uma taxa média de 15% ao ano.

O acesso maior a esses procedimentos, principalmente à mamografia, é fundamental para reduzir o índice de mortandade em decorrência da doença. Cem em cada cem médicos recomendam exame anual de mamografia como forma mais eficaz de diagnosticar o câncer em estágio inicial e evitar que a doença avance. Com o equipamento de diagnóstico por imagem é possível detectar tumores de menos de meio centímetro e até microscópicos, que não podem ser identificados em exames clínicos e no autoexame de mama.

A mamografia é recomendada para mulheres a partir dos 40 anos, faixa etária na qual a maioria dos casos da doença acontece.

A mamografia digital é atualmente a mais indicada, uma vez que possibilita obter, logo de início, imagens de alta qualidade, reduzindo as possibilidades da repetição do exame, além de expor a paciente a menos radiação.

Há ainda a técnica nuclear de linfonodo sentinela, que possibilita identificar, precocemente, a presença de metástase do câncer mamário. Este procedimento – já realizado na UDDO – é feito a partir da aplicação de substância de baixa radiação que serve como contraste, permitindo detectar os primeiros gânglios do sistema linfático afetados pelas células tumorais, pelos quais o tumor pode se espalhar. A partir dos resultados, o cirurgião pode extrair somente a parte afetada, evitando esvaziamento da cadeia linfática.

www.uddo.com.br


Informações para a imprensa:
LILÁS COMUNICAÇÃO – (11) 3666-4893
Denise de Almeida (11) 99753-7360
Núbia Boito (11) 98315-7159
Lilás Comunicação Quem Somos Serviços Novidades Sala de Imprensa Parceiros Clientes Contato Lilás no Facebook Síga-nos no Twitter Fale Conosco