Sala de Imprensa
Clipping
Cliente: GI GROUP BRASIL
Data: 08/07/2020

O TRINÔMIO ORIENTAÇÃO SEXUAL, IDENTIDADE DE GÊNERO E AFETIVIDADE

O TRINÔMIO ORIENTAÇÃO SEXUAL, IDENTIDADE DE GÊNERO E AFETIVIDADE
Na matemática o termo trinômio é utilizado para identificar uma expressão algébrica de três termos. Quando esses termos apresentam determinadas características de similaridade o resultado pode ser um quadrado perfeito. Mas quando falamos do uma equação que tem como elementos Orientação Sexual, Identidade de Gênero e Afetividade pouco tem de exato, muito menos obtemos uma resposta perfeita, o que demonstra o quão complexo é o ser humano e a sexualidade.

Por isso, apesar do tema sexualidade estar em alta nos meios de comunicação não é raro vermos equívocos, opiniões carregadas de preconceito e uma enxurrada de fake news. Promover conhecimento é o primeiro passo para abrir o campo para um debate saudável e conscientização. Por isso, vale esclarecer um pouco mais o que define o gênero de uma pessoa, a autopercepção em relação a sua sexualidade e atração física.

Orientação sexual
Antes de entendermos o que é orientação sexual é importante visitarmos os conceitos de definição de sexo. Para muitos, o sexo não se define apenas pelo prisma das características biológicas, até porque existe uma infinidade de variações cromossômicas, morfológicas e endocrinológicas que por si só já ampliariam o leque para diversas outras classificações que vão muito além de xx e xy. Impactam ainda nessas definições o momento histórico, político e econômico e a repressão sexual vigente naquele momento.

A vastidão humana ainda nos apresenta outra forma de diferenciação dos indivíduos quanto a sexualidade, ou a atração sexual que um indivíduo tem por uma pessoa do mesmo gênero ou outro. Ou seja, utilizamos a nossa capacidade humana de raciocinar, para rotular mais uma vez a sexualidade, criando definições de assexual, bissexual, heterossexual, homossexual e pansexual.

Identidade de gênero
A identidade de gênero não está ligada a questões biológicas. Trata-se de uma construção pessoal do indivíduo a partir dos seus valores, crenças, prioridades e comunicação, para expressar uma identidade masculina ou feminina. Aqui, o indivíduo está dirigindo seu comportamento a aquilo que sente e como gostaria de ser percebido pelos outros.

A identidade de gênero vai além da feminina e masculina. Há a fluida, que identifica os indivíduos que transitam entre os dois gêneros. A não-binária, que contempla aqueles que não se identificam com padrões nem masculinos, nem femininos. E aqueles que têm combinação entre sexo biológico e a identidade de gênero são chamados de cisgênero (cis). Já aos indivíduos cuja identidade de gênero não é a mesma do sexo designado em seu nascimento dá-se o nome de transgênero.

A identidade de gênero pode ou não estar associada à sua expressão e comportamento. O indivíduo pode ter identidade de gênero feminina, por exemplo, e não adotar padrões femininos no vestir, no trato com o corpo e na sua postura, e mesmo assim ser uma mulher.

Afetividade
E por fim, a afetividade está ligada à capacidade de envolvimento emocional que um indivíduo tem por outro independentemente da atração sexual. Por exemplo, uma mulher transgênero bissexual heteroafetiva, ou seja, uma mulher que nasceu com o sexo biológico masculino, se identifica com o gênero feminino, mas sente atração sexual por homens e mulheres e atração afetiva apenas por homens.

A rejeição aos conceitos de orientação sexual e identidade de gênero é uma negativa da própria natureza humana, além de ir de encontro aos princípios de empatia e equidade, cada vez mais característicos nas sociedades modernas. É papel de todos abrir espaços para essa discussão, com objetivo de esclarecer e construir uma sociedade mais empática e capaz de compreender e respeitar a diversidade humana.

*João Dantas é gerente executivo de recursos humanos da Gi Group Brasil

Sobre Gi Group

Gi Group é um dos líderes globais em soluções dedicadas ao desenvolvimento do mercado de trabalho com forte destaque nas atividades de Recrutamento e Seleção, Administração de Temporários, projetos de Terceirização (Outsourcing), Marketing Promocional, Treinamento e Consultoria Empresarial em Desenvolvimento Organizacional e Programa de Estágios.

No início de 2007, o Gi Group começou o seu programa de internacionalização que levou o grupo a estar hoje presente em mais de 50 países na Europa, América e Ásia. A companhia também é membro corporativo global da WEC, a Confederação Internacional das Agências de Emprego, que reúne seis outras multinacionais do setor. O grupo tem faturamento 2,5 bilhões de euros, e atende mais de 20.000 empresas através de 600 filiais em todo mundo e mais de 3000 funcionários diretos. Saiba mais no www.gigroup.com.br


Lilás Comunicação Quem Somos Serviços Novidades Sala de Imprensa Parceiros Clientes Contato Lilás no Facebook Síga-nos no Twitter Fale Conosco