Sala de Imprensa
Clipping
Cliente: GI GROUP BRASIL
Data: 09/03/2015

TRABALHO TEMPORÁRIO PODE INCENTIVAR A CRIAÇÃO DE EMPREGOS NO PAÍS

TRABALHO TEMPORÁRIO PODE INCENTIVAR A CRIAÇÃO DE EMPREGOS NO PAÍS
Grupo de trabalho que reúne as cinco maiores empresas de recursos humanos do Brasil discute como regras trabalhistas mais flexíveis para o setor podem contribuir para minimizar o desemprego e aumentar a arrecadação.

A Confederação Internacional de Serviços Privados de Emprego (CIETT), entidade sediada na Bélgica que reúne as associações de empresas de recursos humanos de todo o mundo, acaba de realizar, pela primeira vez no Brasil, o Fórum Sindeprestem/Ciett de Trabalho Temporário no Mundo e Serviços Especializados, acontecido em São Paulo, no último dia 5 de março.

Durante a visita ao país, os membros da CIETT também se encontraram com autoridades brasileiras, em Brasília, para apresentar as propostas do grupo de trabalho que reúne as cinco maiores empresas de recursos humanos com atuação no Brasil, entre elas, o Gi Group, multinacional italiana do setor de recursos humanos instalada no Brasil há oito anos.

O objetivo é promover melhorias na lei de contratação de mão de obra temporária, de forma que o setor continue gerando empregos, sobretudo, se estender o tempo limite de contratação, hoje restrito a nove meses e apenas para substituir um funcionário afastado ou para reforçar a equipe quando há aumento no volume de trabalho.

Segundo Rui Rocheta, diretor executivo da Gi Group Brasil, experiências verificadas em países como Chile e Colômbia, onde o trabalho temporário é incentivado independentemente das circunstâncias, e, países da Europa, cujas contratações podem se estender em até dois anos, mostram que quanto mais flexíveis as regras para contratação de trabalhadores temporários maior é o grau de formalização do mercado de trabalho e arrecadação fiscal, com ampliação dos benefícios sociais a parcela maior da população.

“Vivemos em um momento em que o país precisa de alternativas para gerar mais empregos e continuar crescendo economicamente. E para isso são necessárias regras mais flexíveis que garantam simultaneamente a segurança do trabalhador”, ressalta Rocheta.

O executivo também destaca que o trabalho temporário pode servir como ferramenta para requalificação da mão de obra e facilitador para os que buscam a primeira experiência profissional, promovendo sua inserção no mercado de trabalho, além de alavancar a produtividade e empregos.



Lilás Comunicação Quem Somos Serviços Novidades Sala de Imprensa Parceiros Clientes Contato Lilás no Facebook Síga-nos no Twitter Fale Conosco