Sala de Imprensa
Clipping
Cliente: GI GROUP BRASIL
Data: 13/03/2018

WYSER: CARREIRAS LIGADAS A TECNOLOGIA DEVEM TER DESTAQUE EM 2018

WYSER: CARREIRAS LIGADAS A TECNOLOGIA DEVEM TER  DESTAQUE EM 2018
A demanda será por profissionais capazes de desenvolver soluções para otimizar os processos e as informações estratégicas para os negócios

O mundo vive um novo ‘boom’ tecnológico. Assim, neste ano, com a retomada dos investimentos na tecnologia da informação (TI) e de automação, profissionais especializados com habilidade de desenvolver novas soluções que gerem economia e ao mesmo tempo mais eficiência e produtividade devem ser alvos das contratações das médias e grandes corporações, segundo a avaliação da Wyser, consultoria especializada em recrutamento de executivos para média e alta gerência da multinacional de recursos humanos Gi Group.

Mesmo entre os especialistas, as empresas buscam pessoas que tenham uma visão global do mercado, da cadeia de negócios e visão empreendedora, capazes de antecipar as tendências tecnológicas e de consumo.

Conheça o ranking de carreiras para 2018.

Em Alta

Cientista de dados

Com a nova era digital e a necessidade das empresas de ter cada vez mais seus processos automatizados e otimizados, esta profissão continua em alta no mercado de tecnologia. O perfil mais procurado é do especialista com um viés mais orientado à estatística e programação. O profissional tem o desafio de automatizar operações baseadas em machine learning, modelo comportamental, projeções estatísticas, inteligência artificial, análise de dados e tomada de decisão.



Desenvolvedor de softwares embarcados / mobile

Uma grande tendência dos dispositivos móveis, weareables, smart houses, Internet das coisas e outros conceitos de software embarcados e um leque de frameworks (linguagens de programação) disponível tem gerado uma alta na demanda por estes profissionais, para tratar de projetos complexos que utilizam modelos de linguagens diferentes. Nesta linha, o mercado oferece inúmeras posições para desenvolvedores que, por sua vez, precisam se especializar e conhecer o negócio para que se destaquem.



Especialista em business intelligence

Este perfil de profissional tem sido cada vez mais procurado com a vinda do conceito de Big Data e Data Mining, em uma era onde a tecnologia evolui a cada dia e torna as operações cada vez mais dependentes. Analisar e selecionar grandes volumes de dados e relacioná-los à estratégia do negócio é cada vez mais imprescindível. Este profissional deve ter bastante conhecimento em estatística, matemática e banco de dados.



Especialista em DevOps

DevOps é um termo criado para descrever um conjunto de práticas para integração entre as equipes de desenvolvimento de softwares, operações (infraestrutura ou sysadmin) e de apoio envolvidas (como controle de qualidade), como também a adoção de processos automatizados para produção rápida e segura de aplicações e serviços. Desta forma, o mercado busca profissionais que tenham, além do conhecimento em programação, habilidades em outras disciplinas, como infraestrutura e operação. E com isso, a performance do projeto tende a aumentar e o controle sobre os processos também.

Especialista em segurança

Com todo o crescimento e a expressividade que a tecnologia conquistou, a vulnerabilidade do sistema e as ameaças dos ataques cibernéticos aumentaram também. Atualmente centenas de bilhões de dados navegam pelas redes e nuvens, moedas digitais mudam conceitos financeiros. Assim, o profissional especializado em segurança tem sido cada vez mais valorizado no mercado, a fim de garantir a integridade da informação em todo ecossistema das empresas, além dos processos e governança que previnam fraudes e também a segurança da informação.



Especialista Cloud Computing

O grande volume de informação gerado obrigou o mercado de tecnologia a criar uma solução que otimizasse os custos, fosse mais fácil gerenciar, que tivesse um maior nível de segurança e pudesse ser comercializada de forma simples e rápida. Nesse cenário nasceu o conceito de computação na nuvem, ou seja, a base de dados virtual, com grande capacidade de armazenamento, que dispensa praticamente a necessidade de ter dispositivos e máquinas físicas. E com a tecnologia, surgiu oportunidade para profissionais que conheçam dominem a arquitetura da informação, banco de dados, redes/infraestrutura e até o desenvolvimento de soluções.





Em baixa



Analistas ou especialista Infraestrutura e redes

Com a virtualização e computação na nuvem o profissional com este perfil tem sido cada vez menos demandado. Atualmente, as empresas preferem contratar um serviço com maior desempenho, maior capacidade de armazenamento, mais fácil gerenciamento e mais garantia do que investir em um profissional que vá gerenciar estas atividades, além de ter que investir em seu próprio parque tecnológico, gerando riscos e custos elevado. E as entidades certificadoras têm emitido cada vez menos certificados, o que demonstra o desinteresse dos profissionais, sem falar que a infraestrutura de redes sempre foi um mercado pouco remunerado no Brasil.



Suporte Técnico

Assim como o especialista em infraestrutura de redes, o profissional de suporte tem sido cada vez menos assediado com o aumento do serviço de terceiros, automação de processos, novas tecnologias com contingência garantida. Dessa forma, o profissional que presta suporte nível 1, nível 2 e até nível 3 (especialista) estão tendo poucas oportunidades de competir com a era digital que vem se automatizando cada vez mais.



Analista de suporte e telecom

O conceito de telefonia digital reduziu o interesse dos empresários em contratar este perfil de profissional. A linha de produtos e a necessidade de mercado foram automaticamente diminuindo as cadeiras dos analistas de suporte e Telecom. Atualmente, temos poucas empresas e players no Brasil que concorrem entre si nessa área, e assim, criam planos de retenção cada vez mais agressivos, resultando em um turn over muito baixo para esta posição.



Analista de processos

Houve uma alta procura por este perfil em meados de 2010 até 2014. Mas o conceito de processo, governança e metodologia levou o mercado a investir em profissionais que olhassem para o mercado como um todo e criassem processos que pudessem tornar a TI cada vez mais estratégica na pirâmide de negócios. Com o aumento da necessidade em profissionalizar a área de TI e de processos ágeis, esta posição foi sendo deixada de lado ou a cargo dos gerentes e diretores. O número de certificações emitidas pela ISACA (empresa regulamentadora de certificados como Itil e Cobit) diminuiu bastante.



Analista e especialista banco de dados (DBA)

Com a modernização dos processos e tecnologias oriundas do conceito Cloud Computing, o profissional especializado em DBA tem sido cada vez menos procurado pelos empresários. Novamente, os contratos oferecidos por Amazon com AWS, Microsoft com Azure e Google Cloud já contemplam todo o suporte necessário para que na ponta o cliente seja atendido da forma mais completa. E diante da tendência de mercado voltada para bancos de dados não relacionais (Mongo DB, Cassandra, Dynamo e Maria DB), uma boa alternativa para estes profissionais é investir em conhecimento relacionado à computação na nuvem e soluções para agilizar a informação.



Sobre a Wyser

A Wyser é uma consultoria especializada em recrutamento de executivo da Gi Group. A especialização é um dos principais pilares da empresa. A equipe é formada por especialistas nos setores de: Vendas & Marketing & Consumo, Engenharia & Indústria & Logística, Mercado Financeiro, Recursos Humanos, Tecnologia e Agronegócios.

Sobre Gi Group

Gi Group é um dos líderes globais em soluções dedicadas ao desenvolvimento do mercado de trabalho com forte destaque nas atividades de Recrutamento e Seleção, Administração de Temporários, projetos de Terceirização (Outsourcing), Marketing Promocional, Treinamento e Consultoria Empresarial em Desenvolvimento Organizacional e Programa de Estágios.

No início de 2007, o Gi Group começou o seu programa de internacionalização que levou o grupo a estar hoje presente em mais de 40 países na Europa, América e Ásia. A sua importância mereceu reconhecimento adicional no final de 2010 com a entrada como Membro Corporativo Global na CIETT - Confederação Internacional das Agências de Emprego, juntando-se assim a seis outras multinacionais do setor.

O grupo tem faturamento 1,6 bilhões de euros, e atende mais de 12.000 empresas através de 600 filiais em todo mundo e mais de 2400 funcionários diretos.



www.gigroup.com.br


Lilás Comunicação Quem Somos Serviços Novidades Sala de Imprensa Parceiros Clientes Contato Lilás no Facebook Síga-nos no Twitter Fale Conosco